Conhecimento: sentidos organizados com lógica

O Homem em sua máxima potência

Há uma escolha daquele que transmite o conhecimento. A nossa é de nivelar as capacidades por cima.

Tango é uma arte popular. Dançar Tango é, a princípio, para todos. Mas o senso geral não concorda com isso.

Aulas de Tango como conhecemos hoje datam da década de 90. Até então, era na sala de casa, na esquina da quadra, nos braços daquele que sabía mais – e se confiava – que acidentalmente acontecia a coisa. Logo, aprender a dançar Tango pode, até hoje, acontecer de forma completamente casual, pela boa vontade da tia ou do amigo, apoiando-se em pouca ou nenhuma técnica consciente. Assim aconteceu por anos e por isso o Tango existe.

Em algum ponto natural de sua evolução, alguém passou a ensiná-lo mais sistematicamente, inventando códigos que o ajudasse a tal, chegando a conceitos que fossem mais gerais e acessíveis em larga escala. Aumenta a quantidade, diminui a qualidade. Aprende-se errado. Menos. O caminho tortuoso que nunca leva a resultados felizes é o que achamos ser o “difícil” na opinião da maioria que já provou e desistiu.

O grande desafio para aprender a dançar Tango não está nele em si e sim em, da parte de quem aprende, saber discernir entre conselhos bons e ruins, professores mais ou menos honestos e até mesmo os motivos de estarem recebendo essa ou aquela informação.

Como se não bastasse, há ainda a variedade de estilo. Como uma língua espontânea e orgânica, o Tango foi tomando formas e caminhos no decorrer das décadas, todos eles bem fundamentados, entre gerações. O estudante, no entanto, tem que estar preparado para montar um quebra-cabeça, unir peças históricas cujo encaixe é a boa informação em si.

O estudante deveria ter das duas, pelo menos uma das sortes: a de encontrar um  professor confiável OU ter um raciocínio de questionamento e curiosidade a validar o que está acontecendo em aula.

É com orgulho que informamos que o Tango Academy Brasil e seu método de imersão, que foi se modelando ao longo de década e meia, considera toda essa complexidade. E também que já está provado que é eficiente. A contradição de ensinar a muitos, afinal queremos construir a comunidade milonguera, ao mesmo tempo que evitando as generalizações perigosas; propor desafios comuns com soluções particulares (subjetivas); apresentar os variados estilos ainda vivos hoje e estimular veladamente a conquista do estilo próprio; estes e outros são preceitos básicos para nós.

Bem-vindo à Academia.

Deixamos que nossas principais inspirações teóricas expliquem nosso método por nós:

Os Sentidos

Aristóteles.

“É fazendo que se aprende a fazer aquilo que se deve aprender a fazer.”
“Não há nada na nossa inteligência que não tenha passado pelos sentidos.”
“A alegria que se tem em pensar e aprender faz-nos pensar e aprender ainda mais.”
“O começo de todas as ciências é o espanto de as coisas serem o que são.”
“O prazer no trabalho aperfeiçoa a obra.”
“A dúvida é o princípio da sabedoria.”
“A amizade é uma alma com dois corpos.”
“O ato de entender é vida.”
Aprender

Piaget.

“O professor não ensina, mas arranja modos de a própria criança descobrir. Cria situações-problemas.”
“A principal meta da educação é criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe.”
“A inteligência é o que você usa quando não sabe o que fazer.”
Arte & Morte

Nietzsche.

“O que não provoca minha morte faz com que eu fique mais forte.”
“Temos a arte para não morrer da verdade.”
“Sem a música, a vida seria um erro.”
“O verdadeiro homem quer duas coisas: perigo e jogo.”
“É preciso ter o caos dentro de si para gerar uma estrela dançante.”
“É só dos sentidos que procede toda a autenticidade, toda a boa consciência, toda a evidência da verdade.”
“Perdido seja para nós aquele dia em que não se dançou nem uma vez! E falsa seja para nós toda a verdade que não tenha sido acompanhada por uma risada!”
“A maturidade do homem consiste em haver reencontrado a seriedade que tinha no jogo quando era criança.”
“É verdade que se mente com a boca; mas a careta que se faz ao mesmo tempo diz, apesar de tudo, a verdade.”
“Quem atinge o seu ideal, ultrapassa-o precisamente por isso.”
“Eu somente acreditaria em um Deus que soubesse dançar.”
Somos poeira

Carl Sagan.

“Em algum lugar, alguma coisa incrível está esperando para ser conhecida.”
“O cérebro é como um músculo. Quando pensamos bem, nos sentimos bem.”
“Saber muito não lhe torna inteligente. A inteligência se traduz na forma que você recolhe, julga, maneja e, sobretudo, onde e como aplica esta informação.”
“Nós somos feitos de poeira de estrelas”
“Eu não quero acreditar, eu quero conhecer.”
“Devemos manter a mente aberta, mas não tão aberta a ponto do cérebro cair.”
“O método científico é comprovado e verdadeiro. Não é perfeito, é apenas o melhor que temos. Abandoná-lo, junto com seus protocolos céticos, é o caminho para uma idade das trevas.”
“Quem é mais humilde: o cientista que olha para o Universo com uma mente aberta e aceita aquilo que o Universo tem para nos ensinar, ou alguém que diz “tudo o que está neste livro deve ser considerado a verdade literal e esqueçam a falibilidade dos humanos que o escreveram”?”
Mente Hacker

Eric S. Raymond.

“O mundo está repleto de problemas fascinantes esperando para serem resolvidos.”
“Tédio e trabalho repetitivo são nocivos.”
“A mentalidade hacker não é confinada a esta cultura do hacker-de-software. Há pessoas que aplicam a atitude hacker em outras coisas, como eletrônica ou música — na verdade, você pode encontrá-la nos níveis mais altos de qualquer ciência ou arte.”
“(…) mas elas são ligadas com uma mistura de habilidades dos lados esquerdo e direito do cérebro que parece ser muito importante (hackers precisam ser capazes de tanto raciocinar logicamente quanto pôr de lado, de uma hora para outra, a lógica aparente do problema).”
Como se tornar um Hacker, texto integral.
Caos

Hakim Bey.

“A TAZ é “utópica” no sentido que imagina uma intensificação da vida cotidiana ou, como diriam os surrealistas, a penetração do Maravilhoso na vida.”
“Lute pelo direito de festejar” não é, na verdade, uma paródia da luta radical, mas uma nova manifestação dessa luta, apropriada para uma época que oferece a TV e o telefone como maneiras de “alcançar e tocar” outros seres humanos, maneiras de “estar junto!”
“A essência da festa: cara a cara, um grupo de seres humanos coloca seus esforços em sinergia para realizar desejos mútuos, seja por boa comida e alegria, por dança, conversa, pelas artes da vida. Talvez até mesmo por prazer erótico ou para criar uma obra de arte comunal, ou para alcançar o arroubamento do êxtase. Em suma, uma “união de únicos” (como coloca Stirner) em sua forma mais simples, ou então, nos termos de Kropotkin, um básico impulso biológico de “ajuda mútua.”
“O nomadismo psíquico como uma tática, aquilo que Deleuze e Guattari metaforicamente chamam de “máquina de guerra”, muda o paradoxo de um modo passivo para um modo ativo e talvez até mesmo “violento”.”
Zona Autonoma Temporária, texto integral.

Tango ao bailar não é uma arte intelectual. Ensinar e aprender o Tango talvez seja.

Academia & Liceu

A Academia de Platão, como ficou conhecida a escola do filósofo em um jardim de Atenas, foi um lugar de reunião de interessados em discutir sistematicamente Artes, Ciência, Filosofia, afim de produzir conhecimento. No entanto, é no Liceu de Aristóteles que a metodologia que conhecemos hoje como científica começa a dar sinais, graças ao ponto de vista particular deste que foi o mais brilhante do seguidores platônicos. Considerava a percepção como o acesso ao real e a razão como o instrumento para organizar as informações apreendidas. Aristóteles inventa a lógica e dela se serve para sua vontade de classificação de dados coletados que, por indução, levam a conceitos gerais. Em última análise, conhecer as causas para concluir sobre as prováveis consequências, eventos futuros.

Do Discurso do Método, de Descates: “Conduzir por ordem os meus pensamentos, começando pelos objetos mais simples e fáceis de serem conhecidos, para subir, pouco a pouco, como por degraus, até o conhecimento mais composto, e supondo mesmo certa ordem entre os que não se precedem naturalmente uns aos outros”

Aristóteles, por alguns considerado o primeiro cientista, acreditava que o conhecimento era derivado da experiência com o real. Aí um dos principais atritos com Platão, defensor do protagonismo das idéias. Algumas das principais divergências com seu mestre são aquelas que o método TangoLAB se fundamenta. ☆

01

Científico

Compreendemos que o método científico é também aplicável às artes e demonstra resultados impressionantes no Tango graças a sua natureza lógica, orgânica e de certa forma caótica

02

Mestres & Pares

Não há como escapar à realidade. Por isso nossa meta é alcançar a excelência, aprendendo de maestros de décadas e sendo reconhecido pelos pares.

03

Especialização

Do domínio da pequenas partes se entende o idioma-tango. Falando a língua, a tendência natural em seguida é ter suas próprias gírias, seu próprio estilo.